exploração urbana, fotografia, música, produtora de vídeo, ruínas, urbex, vídeo

Earth Without Men

Earth Without Men

trilha sonora: Edward Artemiev – Meditation

fotografia e montagem: Daniel Pátaro

Anúncios
exploração urbana, fotografia, produtora de vídeo, ruínas, urbex, vídeo

URBEX – Casa Abandonada

Exploração Urbana - Ruínas Rurais Fotografia Daniel Pátaro.jpg
Exploração Urbana – Casa Abandonada Fotografia Daniel Pátaro
céu, exploração urbana, fotografia, produtora de vídeo, reportagem, ruínas, texto, urbex, vídeo

Exploração Urbana

_MG_1663_fhdr.jpg
Exploração Urbana Fotografia Daniel Pátaro

“Novamente senti que essa colônia deserta ainda fervilha da terrível inteligência de gerações. Isso encurtou minha presença no local. Região ampla de um assustador silêncio com muitas casas e algumas construções estranhas e atípicas, dignas de uma outra postagem. A temperatura estava na casa dos 32ºC e consegui observar a chuva chegando na hora do equinócio.” URBEX # 9 – Colônia Deserta, por Daniel Pátaro

fotografia, produtora de vídeo, reportagem, texto, vídeo

Nossa Loucura Cotidiana

Hoje pela manhã encontrei a reportagem abaixo no importante site espanhol, Tendências 21. Me chamou a atenção pois passei alguns meses em 2016 trabalhando no novo documentário, No Bosque da Loucura (página do filme aqui), uma investigação sobre os primórdios da cidade e essa imensa loucura e maldade (em nome do mito do progresso) de avançar destruindo florestas, matas, bosques e agora terras férteis, ou seja, o concreto, as ruas e semáforos tem mais importância na loucura cotidiana atual que o próprio alimento. Boa sorte para todos nós e que 2017 seja um ano repleto de descobertas pessoais e possamos contribuir de alguma maneira para o bem estar geral.

A expansão das cidades ameaça a segurança alimentar

Até 2030 vai ser devorado 300.000 quilômetros quadrados de terras aráveis

10855059-17948275.jpg

O rápido crescimento das cidades vai devorar 300.000 quilômetros quadrados de terras aráveis até 2030 e envolverá a perda de entre 1,8% e 2,4% da área cultivada atualmente em todo o mundo, de acordo com um estudo. A urbanização mundial terá lugar em terras agrícolas que são quase duas vezes mais férteis do que a média mundial e ameaça a segurança alimentar. Notícia completa em Tendências 21.

exploração urbana, fotografia, produtora de vídeo, ruínas, texto, urbex, vídeo

Ciência do Abandono

Exploração Urbana - Urbex - Fotografia Daniel Pátaro.jpg
Exploração Urbana – URBEX – Fotografia Daniel Pátaro

“Quando vi aquela ruína, logo entendi que era um lugar notável. Uma terra onde a Natureza empreende um trabalho profundo. O que o homem com seu limitado pensamento montou, o ambiente derruba. Não há placa indicando o rumo; a trilha foi engolida pela vegetação; parede e telhado desmoronam lentamente na terra. Entrar ali só a pé ou de bicicleta e quem por acaso fizer isso, logo se apavora e experimenta um medo profundo. Medo do vazio, da solidão, do silêncio e da extinção.”

Trecho do documentário No Bosque da Loucura, de Daniel Pátaro

exploração urbana, fotografia, produtora de vídeo, ruínas, urbex, vídeo

No Bosque da Loucura Trailer Oficial

No Bosque da Loucura

um filme de Daniel Pátaro

SINOPSE – Situada na Região Metropolitana de Campinas, no ano 2015, a história é narrada pelo explorador Daniel Pátaro. Depois que resolveu reiniciar as explorações na zona rural da cidade, coisas estranhas começam a acontecer: o medo acumula-se em sua mente, percebe uma presença invisível e constante seguindo seus passos e acredita ouvir ao longe, nos raros momentos de silêncio pleno, um terrível lamento. Desconfiado, empreende uma intensa investigação e descobre a maldita causa do abandono daquelas terras. Em 2017!

Página do filme

exploração urbana, produtora de vídeo, ruínas, texto, urbex, vídeo

URBEX # 50 – O que é Exploração Urbana?

URBEX # 50 – O que é Exploração Urbana?

Foi apenas curiosidade o que me levou a explorar pela primeira vez. Alguém tinha me relatado a existência de uma esquisita localidade subterrânea, do outro lado do rio. Fui verificar e o contato com aquelas ruínas me despertou uma lembrança dormente e conquistou em mim um encanto impetuoso.
Hoje, 5 anos depois, já percorri mais de 6000 quilômetros de bicicleta e explorei 120 arruinados lugares na região metropolitana de Campinas. Desde ruínas de 1630 até instalações mais recentes.
Logo comecei a receber uma quantidade enorme de perguntas e exigências de informações. Sorte deles nunca terem recebido nenhum esclarecimento. Alguns segredos não são bons para a humanidade e aquele parecia ser um deles.
A pedalada de quase 30 quilômetros encosta abaixo, até as ruínas propriamente ditas, foi algo cujas singularidades, mesmo as mais miúdas, vão ficar para todo o sempre retidas em minha mente.
E não fossem as fotografias e vídeos ainda hoje eu desconfiaria que tal coisa pudesse viver.
O alvoroço e o senso de intimidação que ali senti deram brecha a uma poderosa curiosidade na acepção de apurar mais a respeito daquele mistério do passado.
Muitas das ruínas, obviamente, haviam perdido os telhados e tinham as partes superiores estilhaçadas. Passei horas a estudar interiores e explorar oportunidades de ingresso e meu músculo cardíaco foi submetido a longa atividade.
Era genuíno que eu investigasse com disposição única e uma sensação de respeito particularmente pessoal a tudo quanto estava relacionado à área contínua em que me situava.
Logo percebi que novas expedições não seriam de maneira alguma possíveis. As incertezas e os pavores que me cercavam – aquilo que não divulgarei – faziam com que minha singular vontade fosse distanciar-me daquele domínio setentrional de angústia e silenciosa insânia tão depressa quando pudesse. Eu o tinha notado e também fui visto, talvez bem antes de invadir aquela área abandonada há séculos. Que presença fora despertada com minha chegada? Não peçam meu palpite. Não sei, as imagens são tudo. Veio de algum lugar onde as coisas não são como aqui. Não é parecido com as coisas do mundo de Deus.
Como diria um antigo morador da região: “Não vá lá Daniel, tem coisas que a gente não conhece.”
A história completa, tal como estudada até o presente aparecerá mais adiante num vídeo oficial do canal. Restringir-me-ei aqui a rascunhar somente os rumos mais ínclitos de maneira grosseira e divagante. Existem coisas que não podem ser reportadas e se você quiser saber mais a respeito as pistas se encontram muito longe da nossa existência diária média.

astrofotografia, música, produtora de vídeo, vídeo

Super Lua Eclipsada 27set2015

Como sabemos, a Lua orbita a Terra, e durante sua trajetória acontecem as fases da Lua. Quando a Lua está entre a Terra e o Sol, temos a fase nova, e quando a Terra está entre a Lua e o Sol, temos a Lua Cheia. De tempos em tempos, quando a Terra está entre a Lua e o Sol (Lua Cheia) o nosso planeta projeta sua sombra na superfície da Lua por conta de um alinhamento, e isso faz com que a Lua Cheia fique escura por alguns minutos. Já o eclipse solar acontece quando a Lua projeta sua sombra na Terra, ocultando o Sol e fazendo o dia virar noite.

fotografia: Daniel Pátaro
trilha sonora: Stellardrone – Ultra Deep Field

apreciadores de nuvens, fotografia, vídeo

TEMPESTADE

fotografia, música, produtora de vídeo, vídeo

Campinas no Espelho

 Reflexão e desconstrução da nossa desgastada paisagem urbana.

Campinas no Espelho I
fotografia e edição: Daniel Pátaro
trilha sonora: Kosta T – 07 – 375

https://soundcloud.com/konstantin-trokay

http://kostat.bandcamp.com/

exploração urbana, fotografia, reportagem, ruínas, texto, urbex, vídeo

Urbex # 10 – Escola Abandonada

Urbex Brasil Escola Fotografia Daniel Pátaro
Exploração Urbana URBEX Brasil Escola Fotografia Daniel Pátaro

Com a temperatura novamente acima dos 30 graus (chegou a 33,6ºC hoje) saí para explorar as ruínas de um escola do início do século. Foi construída, provavelmente, na década de 1910 e localiza-se no bairro hoje chamado Carlos Gomes Velho, em Campinas.

Urbex Brasil Escola Fotografia Daniel Pátaro
Exploração Urbana URBEX Brasil Escola Fotografia Daniel Pátaro

Antigamente ali era a Fazenda Duas Pontes, a maior produtora de café da história do município, ao lado da estação ferroviária Desembargador Furtado (1901).

Urbex Brasil Escola Fotografia Daniel Pátaro
Exploração Urbana URBEX Brasil Escola Fotografia Daniel Pátaro

A primeira metade da década de 1920 caracterizou-se pelo auge da produção cafeeira em grande parte do território paulista. Porém, no final dessa década, houve uma crise da economia cafeeira, atingindo grande parte do estado de São Paulo. A decadência da produção ocorreu pelo desgaste das terras da região, pelas geadas que acabavam com as lavouras, pela diminuição da exportação motivada pela alteração da qualidade do café, pela concorrência de outros países e pela crise econômica de 1929. Com a crise do café, a volta da cana-de-açúcar e a troca pela indústria e prestação de serviços, o que fez com que a fisionomia da cidade deixasse de ser ruralista e passasse a ser mais urbanística. Mais sobre essa fantástica ruína no vídeo abaixo:

Zona Perdida, documentário completo aqui

Mais sobre Exploração Urbana no Brasil

Canal de vídeos de Exploração Urbana